segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Completude ( por Raffa Gomes)




Só se nosso silêncio fosse presse,
tentiva vã de esquivar das tempestades,
fluxo impúdico e deslizante de fragmentos,
saraivada de instantes adultos sofrimentos
de quando me serve os olhos;

Quase todo o infantil desenho que o nanquim faz,
quando, por desterro, invade a folha branca,
invasão voraz sem permissão, desnorteada
aparição que completa, pinta e fere e perdôa

e alerta, possível tempestade de neve, clareando.
Oceaneando diversidade, tua mulher mostrando
caminhos, d'onde não resta dúvida, dádiva cabe!

Eu sendo folha branca e Ela tinta grave;
Ela sendo tempestade de neve, Eu chão que molha,
mais tarde,
Sou o que ela completa,
És, o que a mim faltava.

Completude.

(Som - O pé , de karinah Buhr )
http://www.myspace.com/karinabuhr

2 comentários:

Diego disse...

O branco.
O chão. Nanquim.
Contraste completo.

Deborah disse...

Completude.. embora não exista porcompleto, a sensação é maravilhosa!